sexta-feira, 9 de maio de 2008

Jogar o verde



Ah, a nossa velha arte de jogar o verde. Jogar o verde para colher maduro, ou em outras formas não tão nobres como jogar o barro pra ver se cola, atirar no escuro pra acertar o gato...

Essa nobre arte que para mim ficou catequizada como jogar o verde nada mais é do que a utilização de fatores de ambiente, ruídos na comunicação, a nossa centenária malandragem e uma semi-certeza inquisitiva com intuito corroborante da verdade (jogar o verde), para que posteriormente sejam alcançados ganhos importantes de uma natureza qualquer, o mais comum sendo o ganho de informações, principalmente mas não se restringindo a fofocas, muitíssimo aplicado no âmbito pessoal e o mais interessante sendo o ganho financeiro, igualmente aplicado no âmbito profissional (colher maduro).

Eu estou satisfeito com um verde jogado essa semana, que por infortúnios do destino só poderá ser colhido semana que vem. Fator este que me instigou a escrever o post no primeiro lugar, enquanto fico no aguardo.

Tá. Convenhamos que não é muito bonito nem muito profissional, mas com certeza é importante, faz parte da vida e eu garanto que você que está lendo já se beneficiou de um verde bem jogado.

Então que suas próximas colheitas sejam tão maduras quanto possível e:

Quem nunca jogou o verde que atire o primeiro limão!

2 comentários:

Marcio Melo disse...

Muito bom esse post, disse tudo hehehe.

Joguar o Verde as vezes é necessário :D

Rubens disse...

Pior que é verdade. Quem nunca fez isso? E o mais pior de ruim (rsrs) é que tem gente que cai como um patinho...