sábado, 18 de agosto de 2007

Um passo (ou parte) por vez..





Foi... veio dali mesmo a inspiraçao, foi para aquele destino mesmo que o pombo correio entregou sua carta. Eu so colquei a carta na patinha dele, ele pousou onde o vento parou de soprar, quando as asas acharam que ja haviam batido vezes suficientes.

Eu costumo escrever tudo que quero passar, mas tem gente que fala daquele jeito que voce quer falar, para a pessoa que voce quer falar, vai aqui:

Descansar
Canto Dos Malditos Na Terra Do Nunca

Eu quero descansar no teu peito o cansaço dessa vida e
o peso de ter que ser alguém Eu já não sei o que faço
meu bem nem o que farei
Mas se você quiser e vier pro que der e vier comigo eu
posso ser o seu abrigo
Mas se você não quiser eu posso ser um qualquer
inimigo mas só quero q saiba meu bem esteja sempre
comigo
Eu quero encontrar minha paz que eu já não sei dos
perigos que essa vida me traz
Só sei que a gente inventa o amor e dor e tudo que me
satisfaz
Mas se você quiser e vier pro que der e vier comigo eu
posso ser o seu abrigo
Mas se você não quiser me nego a todo e qualquer
castigo mas só quero q saiba meu bem te levo sempre
comigo

5 comentários:

complexyo disse...

Eu estou bem aqui, de pé entre vocês, com flores e sombras fazendo a contraparte necessária à luz de querer ser tanto.
Eu sei o tanto que queres ser. Essa luz brilha na tua face insincera. Há muito nesse mapa a ser desvendado, há muito território pra ser percorrido.
E eu estou bem aqui, ainda.

Paola a Estranha disse...

Nossa muito lindo!!!
Bjks,
P.

danilo disse...

o subtendido é sempre mais bonito... pq a gente sempre adciona um pouco do que quer entender!

hehe

;)

Marcio Melo disse...

e pensar que eu vi a Canto dos Malditos iniciando nos palcos.

Que bom que está fazendo um certo sucesso

Luciana Cantanhede disse...

lindo!!!